Vinhos Espanhóis: Um guia pelos sabores da Espanha


Repletos de personalidade, assim podemos definir os vinhos espanhóis. Berço de alguns dos mais prestigiados vinhos do mundo, a Espanha tem muito a nos revelar em produção, cultivo e principalmente na sua diversidade de sabores.

Hoje vamos entender por que país detém o terceiro lugar no ranking de produção mundial, atrás somente da Itália e da França, e também explorar sobre história ligada ao vinho que remete a 4000 a.C. Preparados para descobrir um pouco mais? ¡Salud!



As uvas espanholas

Apesar de serem cultivadas mais de 600 castas de uvas na Espanha, a Tempranillo e a Albariño correspondem a cerca de 80% da produção. Embora grande parte dos vinhedos plantados no país sejam de cepas brancas, a popularidade dos vinhos espanhóis está fortemente ligada às uvas tintas; vamos conhecer algumas:

Tempranillo – A emblemática uva espanhola é cultivada nas regiões norte e central da Espanha. Temprano significa cedo, e como o próprio nome sugere ela amadurece antes das demais. Uma uva pequena, com pele mais grossa e taninos moderados, gera vinhos com notas de morango, groselha, ameixas, chocolate e tabaco.

Cariñena – Uva tinta que produz ótimos vinhos na região do Mediterrâneo, no nordeste espanhol. Tem bom desempenho em climas quentes e secos, deixando seus taninos mais intensos, ácidos e coloridos. Raramente é usada para fabricar vinhos varietais, sendo muito comum em blends com outras uvas, como Grenache e Syrah.





Garnacha – É a segunda variedade de uva tinta mais plantada na Espanha. Suas videiras são fortes e estruturadas, resistentes à seca e ao vento forte. Pode apresentar algumas variações de aroma, lembrando frutas vermelhas, damasco, pimenta-do-reino e café.

Graciano – Uva tinta cultivada principalmente nas regiões de Rioja e Navarra, com aroma forte, muito apreciada na produção blends com Tempranillo e Cabernet Sauvignon.

Xarel-lo – Originária da Catalunha, é uma das uvas brancas mais indicadas para a produção de espumantes Charmat,

Verdejo – Uva branca tradicional, aromática, bastante utilizada na Rueda, região central da Espanha. Seus vinhos são produzidos, em grande parte, varietal ou misturado às uvas Viura e Sauvignon Blanc.

A diversidade de regiões produtoras

Atualmente, a Espanha conta com mais de 60 regiões vinícolas registradas, sendo que as principais e que ganham destaque no quesito qualidade e tradição são: La Rioja, Ribera del Duero, Bierzo e Galícia, Castilla y Leon, Priorat, Aragón, Navarra, Cataluña, Madri & Estremadura, Castilla La Mancha, Valência & Murcia, Andaluzia, Ilhas Canárias e Ilhas Baleares.

Por ser um país extenso, sua pluralidade de altitudes, solos e microclimas reflete nos diferentes perfis de vinhos espanhóis – desde espumantes (Cavas) até fortificados, como o Jerez, passando, obviamente, por tintos, brancos e rosés. Portanto, para que você entenda um pouco melhor a indústria vinícola na Espanha, é necessário entendê-la a partir das regiões de cultivo.

Da Galícia, por exemplo, região de alta umidade, com ventos frios, com chuvas frequentes e com influência do Atlântico, saem os vinhos brancos da uva Albariño, de nível de acidez alto, pouco encorpado e com aromas de frutas cítricas. Das regiões de Rioja, Ribera del Duero e Penedez, de clima fresco, saem os vinhos da principal uva espanhola, a Tempranillo (a uva nobre), com menos acidez; e saem os da Garnacha, que resultam vinhos tintos encorpados.


Classificação dos vinhos espanhóis

A partir de 2003, a Espanha passou a regulamentar as denominações de origem e indicações geográficas dos vinhos espanhóis de forma equivalente à dos grandes produtores europeus – uma maneira de controlar a produção e reforçar a competitividade. Desde então, os vinhos espanhóis passaram a ser divididos em duas categorias principais:

Denominación de Origen Protegida (DOP): vinhos produzidos em uma determinada região com uvas originárias totalmente dessa região em questão;


Indicación de Origen Protegida (IGP): engloba vinhos em que ao menos 85% das uvas utilizadas sejam da região produtora.

Essas duas categorias principais ainda possuem algumas subdivisões. Os vinhos IGP, por exemplo, dividem-se em Vinos de La Tierra (VdlT), uma nomenclatura tradicional dos vinhos de mesa com característica específicas ligadas a região de origem. Quanto aos vinhos DOP, há cinco subdivisões: Vinos de Calidad com Indicación Geografica (VCIG), Denominación de Origen (DO), Denominación de Origen Calificada (DOCa), Vino de Pago (VP) e Vino de Pago Calificado (VPC) – os melhores vinhos!

Os vinhos DO devem atender a especificações quanto às variedades de uva permitidas, modo de cultivo e localização dos vinhedos. Para chegar ao topo do ranking de qualidade – os DOCa – um DO deve aguardar no mínimo dez anos. Hoje, essa denominação é atribuída a apenas duas regiões: Rioja e Priorato.

Já em relação ao envelhecimento da safra em barrica ou garrafa, o vinho espanhol pode ser:

Joven (ou Vino Del Año): aquele engarrafado diretamente após as duas fases de fermentação, sem tempo nenhum de barrica. Sua principal característica é ser fresco e frutado; Crianza: envelhecido por dois anos e parte desse tempo – de seis meses a um ano – permanece em barrica de carvalho francês ou americano;Reserva: envelhecido por três anos, sendo que devem permanecer em barricas pelo menos por um ano;Gran Reserva: produzidos somente com uvas de colheitas excepcionais, são envelhecidos por cinco anos, dois deles em barrica.


Como você pode notar, os vinhos espanhóis possuem uma personalidade grande e forte no mercado. Vale a pena se aprofundar nesse mundo dos vinhos e descobrir as maravilhas reveladas em cada gole. E se você é um apaixonado pela bebida dos deuses, como nós da Art des Caves, que tal aproveitar e estender o passeio pela região ibérica e descobrir também as maravilhas dos vinhos portugueses?

Gostou da nossa dica? Claro né! Conte sempre a Optimus Importadora, uma empresa que é especialista e conhecedora do mercado e qualidade de Vinhos. Atualmente presente nos principais estados do país, em restaurantes e lojas especializadas. Contamos com uma grande rede de representantes e distribuidores em cada região.




Fonte: Arts de Caves

0 visualização

distribuidora de vinhos importados, vinhos artgentinos, vinhos chilenos, revendedor de vinhos, vinhos no atacado, vinhos gran reserva, vinhos Secret Barrel's, vinhos mosquita muerta, são paulo, santo andré, são caetano do sul, são bernardo do campo, mauá, 

  • Facebook Optimus Importadora
  • Instagram
whatsapp-logo-icone (2).png

®2020 Todos Direitos Reservados á Optimus Importadora. Desenvolvido por Agência x10

whatsapp-logo-icone (2).png